Microbiota intestinal: a relação com a sua saúde!

microbiota-intestinal

A microbiota intestinal representa a população de microorganismos que habitam o nosso tubo digestivo, também conhecido como flora intestinal. 

Nossa microbiota é composta por dezenas de trilhões de bactérias, sendo que um terço de nossa microbiota é comum à maioria das pessoas, enquanto que dois terços são específicos de cada indivíduo. 

Microbiota intestinal: manter equilibrada

A colonização do trato gastrointestinal é temporária e não permanente, por isso é muito importante estar sempre de olho no equilíbrio da microbiota intestinal.

As bactérias probióticas são as bactérias “funcionais”, que conseguimos ingerir por meio de suplementos e que têm demonstrado efeitos muito positivos para a nossa saúde. 

Portanto, as bactérias probióticas são essenciais para a manutenção da nossa saúde do intestino devido às suas múltiplas funções, como síntese de vitaminas e enzimas digestivas, regulação do trânsito intestinal e absorção de nutrientes, além de controle do colesterol, ajuda na metabolização de medicamentos e no controle hormonal, além de melhorar o sistema imune que diz respeito às defesas corporais.

Microbiota intestinal: manter saudável

Primeiramente, deve-se ter uma alimentação saudável e rica em fibras para manter a nossa microbiota saudável e são encontradas naturalmente em alimentos de origem vegetal. Como cebola, alho, alho-poró, chicória, banana, cevada, aveia e aspargos, além de talos, raízes, folhas e sementes de diversos vegetais. 

Existem outras formas de melhorar a microbiota, entre elas a diversificação de nutrientes na dieta, ter um aporte adequado de legumes, frutas e feijões e ainda medidas que não envolvem diretamente a dieta.

Entre os outros fatores que podem contribuir para a melhora da microbiota, está a limitação do consumo de alimentos ricos em açúcar. Pois, a fonte de energia rápida não consegue servir de alimento às bactérias devido à facilidade e rapidez que consegue gerar energia. Sendo assim, além disso, a prática constante de atividade física, a ingestão constante de alimentos fermentados como iogurte ou kefir, a redução do consumo de adoçantes artificiais, principalmente com aspartame, tem um efeito benéfico.

Sabe-se também, que a ingestão de leite materno durante os primeiros meses do bebê, afeta positivamente a microbiota intestinal. 

Leia também: Benefícios da cannabis medicinal: como tratamento complementar

Microbiota intestinal: conclusão

Muitos estudos já mostraram que uma microbiota desequilibrada pode levar ao desenvolvimento de diversas doenças crônicas. Sendo assim, com destaque aos vários tipos de cânceres, por isso é importante uma ajuda profissional para identificar hábitos que possam ser melhorados além da necessidade de suplementação. 

Uma microbiota desequilibrada pode levar ao desenvolvimento de diversas doenças crônicas, com destaque aos vários tipos de cânceres. Por isso, é importante uma ajuda profissional para identificar hábitos que possam ser melhorados além da necessidade de suplementação.

 

Por: Dr. Marcus Vinícius de Souza Silva

Médico

CRM/DF 26486

 

  • dermyah-dermocosmeticos

Rolar para cima