Dietas muito restritas podem ser uma armadilha para o organismo

A vontade de se enquadrar num padrão de beleza a qualquer custo pode ter sérias consequências!

Na ânsia de conquistar um corpo perfeito, alguns sacrifícios incorporados à rotina podem ser muito prejudiciais à saúde. Dentre as formas arriscadas de emagrecimento, uma bastante comum é a prática de dietas muito restritivas. Os exemplos públicos mais recentes foram o de um ex-participante de um famoso reality show desse ano, cuja esposa, uma espécie de “coach” de saúde, não ‘permite’ que ele coma pão, e de uma outra ex- participante do mesmo programa, que por medo de engordar se alimentava com calorias bem abaixo das calorias diárias recomendadas.

O que é uma Dieta Restritiva?

Como o próprio nome sugere, uma dieta restritiva é aquela em que são impostas muitas limitações quanto ao consumo de um ou mais alimentos. Esse tipo de alimentação normalmente incentiva o indivíduo a deixar de consumir algum macronutriente do plano alimentar, em especial os carboidratos e gorduras.

É fácil notar que as dietas restritivas são buscadas por quem tem como foco o emagrecimento. A crença é a de que retirar totalmente alguns alimentos da rotina e reduzir drasticamente as calorias ingeridas trará os resultados desejados. Entretanto, buscar dietas restritivas com finalidades estéticas é uma conduta temporária e não saudável.

Porque devemos tomar cuidado com dietas restritivas?

Nosso corpo carece de diferentes nutrientes e uma ingestão adequada de calorias diárias. Dessa forma, as dietas restritivas podem trazer consequências negativas, especialmente nas dietas com alta redução calórica, onde é comum que as pessoas desenvolvam ou apresentem problemas como a diminuição da pressão arterial, hipoglicemia, cálculo biliar, além da perda de massa magra. 

Outra mudança arriscada sofrida pelo organismo de quem lança mão desse tipo de dieta é a alteração no metabolismo, ou produção de energia para o corpo. Quando a baixa ingestão calórica e a perda repentina de peso acontecem, o organismo entende que está passando por um déficit energético. Com isso, a resposta imediata é ativar mecanismos que recuperem ou estabilizem a perda de energia, onde o corpo para ou diminui a transformação de gorduras e outros nutrientes em energia.

Ao praticar restrições alimentares severas, o indivíduo está apenas prejudicando sua saúde e não mudando seu percentual de gordura ou a forma com que o corpo lida com os alimentos. Mais do que isso, é comum, após finalizar o período desse regime, que as pessoas desenvolvam uma compulsão alimentar pelas comidas que estavam fora de sua dieta alimentar.

Perder peso rapidamente:

Não é saudável perder muito peso rapidamente sem um acompanhamento de um nutricionista. Com essas dietas, muitas pessoas realmente sentem diferença na balança, o que não significa que estão perdendo gordura. São efeitos a curto prazo e sem durabilidade. Como consequência, seu organismo pode necessitar de um longo tratamento após a realização dessas dietas, como exemplo, o tratamento dos transtornos alimentares.

Para qualquer um que deseja perder peso, a recomendação é sempre buscar um equilíbrio, além da ajuda de um profissional nutricionista.

O foco deve ser uma real mudança de hábitos e reeducação alimentar, prática diária de exercícios físicos, que proporcionam resultados satisfatórios e duradouros, sem causar danos à saúde.

Por: Dra. Nany Sado

Nutricionista

CRN1/10683

Dra. Nany Sado

  • infinite-homecare-revista-mais-saude

Gostou? Compartilhe!
Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email
Você vai gostar também
Rolar para cima