Cirurgia íntima feminina: Você sabe o que é?

Cirurgia íntima feminina Você sabe o que é

Cirurgia íntima feminina: Você sabe o que é?

Quando se fala em cirurgia íntima muitas pacientes pensam se tratar apenas de ninfoplastia, ou seja, cirurgia dos pequenos lábios vaginais, mas a cirurgia intima é ampla, podendo tratar diversas áreas da região íntima feminina, como por exemplo grandes lábios vaginais, capuz clitoriano e monte de Vênus.

A cirurgia íntima é mais conhecida pelas suas funções estéticas, porém também tem suas indicações para tratar questões funcionais e da saúde íntima feminina.

Mesmo que pouco se fale sobre o assunto, por vergonha ou tabu, são cirurgias muito realizadas hoje no mundo, sendo o Brasil líder mundial destes procedimentos segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS).

Os motivos para a busca por estas cirurgias são muitos, como por exemplo o desconforto no ato sexual, prejuízos psicológicos e melhora da auto estima. 

 Tipos cirurgias íntima feminina

  • Ninfoplastia ou labioplastia menor: O procedimento busca tratar os pequenos lábios vaginais. Pode ser realizada para tratar assimetrias entre os pequenos lábios, que muitas vezes cresce apenas de um lado, ou para diminuir os pequenos lábios que estão projetados para fora dos grandes lábios, causando desconforto.

O procedimento cirúrgico é feito com anestesia local, podendo ou não usar sedação, e a paciente não precisa permanecer internada após a cirurgia. O pós operatório costuma ser tranquilo, a maioria das pacientes relatam um nível de dor muito baixo, podendo retornar ao trabalho em dois dias. É necessário repouso das atividades físicas mais intensas por 30 dias, e as relações sexuais estão liberadas após um mês da realização do procedimento.

  • Labioplastia maior: O procedimento busca tratar os grandes lábios vaginais, que sofrem alterações com a idade ou com grandes perdas de peso, podendo ficar flácidos ou até aumentarem de tamanho.

A labioplastia maior visa tratar essa flacidez ou com retirada de um fuso de tecido, através de um corte realizado na prega labial, ou com enxerto de gordura. O que irá definir qual tratamento será realizado é o tamanho dos grandes lábios e a quantidade de flacidez existente.

  • Cirurgia do monte de vênus: O monte de Vênus é a região localizada logo abaixo do abdômen e acima do clitóris, também denominado monte púbico ou monte pubiano. Dependendo das características de cada mulher, o monte de Vênus pode ser mais ou menos proeminente. Nos casos em que ele é mais avantajado, as mulheres costumam se sentir bastante desconfortáveis.

A cirurgia para reduzir essa região pode ser realizada com uma lipoaspiração, que suga o excesso de gordura, ou com uma lipoaspiração associada a ressecção do excesso de pele, também conhecido como lifting pubiano, se houver.  Algumas pacientes apresentam apenas flacidez na região, não apresentando acúmulo de gordura, sendo necessário apenas o lifting pubiano sem a necessidade de uma lipoaspiração.

  • Cirurgia do capuz clitoriano: Capuz clitoriano ou prepúcio clitoriano é a pele que recobre o clítoris. Assim como nos pequenos lábios vaginais, também pode haver um aumento de volume da pele que recobre o clítoris.

Algumas mulheres queixam-se por não “sentirem” muito o estímulo na área durante o ato sexual. Isso pode acontecer pelo excesso de pele que recobre o clitóris, que diminui o contato e estimulação da área, dificultando o prazer e até o orgasmo. A cirurgia retira o excesso de pele existente.

É imprescindível que a paciente passe por uma avaliação médica ao apresentar qualquer desconforto ou insatisfação com a região íntima, para que seja realizado o melhor procedimento para o seu caso específico, afim de melhorar sua qualidade de vida e saúde.

Por: Dra. Cristiane Gusmão

Cirurgia Plástica

CRM/GO: 22962 | RQE: 11694

Dra. Cristiane Gusmão

  • medcom-brasilia

Gostou? Compartilhe!
Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email
Você vai gostar também
Rolar para cima